Linguagem Corporal Defensiva- Gestos de Defesa


2ª Edição Revista e Atualizada.


Os gestos de linguagem corporal defensiva estão espalhados por todos os lugares e programados em cada cérebro de acordo com a situação. Os gestos defensivos aparecem quando nos sentimos ameaçados e inseguros em relação a pessoa ou a circunstância que está diante de nós. Uma das clássicas defensivas, é cruzar os braços sobre o peito. Braço Cruzado, você não sai, e ele não entra! Quando o braço é cruzado, tendemos a colocar uma barreira entre nós e a pessoa ou a situação em que nos encontramos e que não é agradável; é universal, e tem o mesmo significado negativo defensivo. O corpo se fecha, quando a mente se fecha. Com os braços cruzados diminuímos nosso senso receptivo, e tendemos a não dar e não guardar a maioria das informações que nos são passadas. 


A interpretação é clara nessas fotos. A foto da esquerda mostra duas pessoas conversando e uma dela com os braços cruzados. Ele cruza o braço para se defender do que o outro está falando que pela sua linguagem corporal é uma crítica negativa. O outro cruza os braços se fechando e se defendendo. Fica claro também na sua expressão facial que está totalmente ruborizada e insatisfeita. O da direita, possivelmente está desconfortável com a situação que presencia, e pela sua expressão facial de crítica, analisa a situação com bastante receio.


Nestas fotos. A foto da esquerda mostra a jornalista Josi Costa, ainda menina, se recusando de braços cruzados a cumprimentar o general presidente Figueiredo. Com as mãos no quadris, que também é uma clássica defensiva de Provocação e Desafio, ela brada para que ele não mexa com ela. Colocamos também os braços no quadril para mostrar que somos maiores e que ninguém irá mexer conosco. 

A fotografia da direita mostra membros executivos ouvindo o ex senador Demóstenes no discurso para defesa de sua cassação, pela sua linguagem corporal e pela ruborização de incredulidade, crítica e insatisfação o que acham que estão pensando sobre o ex senador e seu discurso? Tire suas próprias conclusões...

A foto da esquerda mostra um homem com os braços cruzados, sua tentativa de se defender é evidente também pela sua linguagem corporal que está fora do ângulo do outro homem, dando o desejo de encerrar a conversa e ir embora. Mas repare que nesta foto ele está com uma das mãos em um dos braços. Essa versão dos braços cruzados é uma versão do auto abraço, ele sente a necessidade de ser abraçado, mas como ninguém o faz, ele se abraça para se sentir confortável. Geralmente acontece em casos de insegurança extrema. A foto da direita mostra pessoas comuns. O homem de braços cruzados não parece estar se divertindo, uma vez que está de braços cruzados. Muitas vezes também o homem ou mulher tem mania de cruzar também as pernas, essas posições variam bastante em relação ao homem e a mulher. Muitos dizem para afirmar seu ponto de vista de que: "se sente confortável assim". 

Qualquer posição o fará confortável de acordo com o seu estado emocional. Perceba que quando estamos nos divertindo com algo, cruzar os braços se torna desconfortável e enfadonho. 


Nas Filas de bancos, lotéricas e etc. Vemos também muita gente fazendo diversificados gestos defensivos e negativos. Mãos nos bolsos, braços cruzados, mãos nos quadris, colocando bolsa como barreira, e também o cotovelo como barreira para a pessoa de trás. Isso acontece pela nossa proteção do espaço íntimo que é de 45 cm. É uma bolha territorial que está a nossa volta. Quando pessoas que não possuímos intimidade, invadem nosso espaço intimo e permanece, tendemos a ficar em estado de alerta e fazer gestos defensivos se fechando, nos assegurando de que a pessoa não irá mexer conosco. Por esse motivo, policiais usam a técnica de invasão de espaço pessoal em interrogatórios. Quando alguém que não conhecemos invade nosso espaço intimo, tendemos a falar mais a verdade, pois o cérebro fica em estado de alerta "o que será que ele vai fazer? será que vai me machucar?" por isso, a criação da mentira fica mais difícil, é a famosa pressão. Instintivamente o cérebro está preocupado na aproximação, e não na criação da mentira. 

                              


Outra versão clássica defensiva e de cruzar os braços sobre o peito, é o paletó abotoado, e as mãos na genitália. Eles protegem a região genital pois é um ponto vulnerável do homem. Meninas são ensinadas a dar socos e chutes nessa região por meninos travessos. Da mesma forma se torna um gesto defensivo também.

Nesta foto vemos membros do Tribunal de Justiça de Botucatu que é a mesa condutora dos trabalhos, composta pelo presidente do TJSP, Ivan Sartori e pelo presidente do TRF 3ª Região, Newton de Lucca. (Que é evidente pelo espaldar de suas cadeiras que são grandes, e perceba que a do líder é mais alta que a outra. Quanto mais alto as costas da cadeira, mais poder, autoridade e status a pessoa tem).

Agora perceba esta foto. Todos estão com os paletós desabotoados. Estão em posição defensiva? Sim! Neste caso eles estão confortáveis pelo fato de terem a mesa da tribuna como barreira defensiva.





 Perceba que o homem da esquerda está com o paletó abotoado e com as mãos na genital. Clássicas Defensivas. O homem da direita está desabotoado, pois se sente confortável com o objeto que segura formando barreira. Estão defensivos, possivelmente do público que o observa além de jornalistas, autoridades e etc.


Qualquer gesto que fazemos seja com as mãos, braços, objetos e etc. Denotam uma defensividade. Tenha cuidado ao interpretar. Além dos que estão engajados aqui, existem mais trilhões de gestos de defesa. Cada um com uma peculiaridade diferente e cada um com sua interpretação.

Bruno Santos da Silva 
Especialista em Linguagem Corporal e Micro Expressões

5 comentários:

  1. Interessantíssimo.... estou aprendendo bastante.

    ResponderExcluir
  2. Gostei demais .. várias coisas reunidas .. fica mais fácil de aprender.

    ResponderExcluir

Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, termos agressivos, propaganda comercial, ou comentários desnecessários sem conteúdo. Para o envio de mensagens pessoais para o autor, utilize o e-mail. Caso haja erro no processamento na página ou vídeo com a análise ou artigo, deixe seu comentário para manutenção imediata.